Dia de Sobrecarga da Terra chega mais cedo em 2017


Postado em 03/ago/2017

Segundo a Global Footprint Network, organização sem fins lucrativos que, anualmente, calcula o chamado Dia de Sobrecarga da Terra (ou Earth Overshoot Day, em inglês), a humanidade oficialmente esgotou todos os recursos disponíveis no planeta para o ano de 2017 no dia 02 de agosto.

Em 1987, o Dia da Sobrecarga da Terra caiu em 9 de dezembro. Desde então, o limite do “orçamento natural” do planeta foi ultrapassado de maneira cada vez mais intensa, fazendo com que a data em que essa barreira é atingida seja registrada mais cedo a cada ano. Em 2016, o Dia da Sobrecarga da Terra foi 8 de agosto, seis dias depois deste ano.

“Hoje, o nosso consumo coletivo excede em 70% o que o planeta pode renovar“, avalia Mathis Wackernagel, da Global Footprint Network.

Segundo especialistas em sustentabilidade, atualmente a humanidade precisa de 1,7 planeta para suprir os recursos que consome dos ecossistemas da Terra.

“O custo deste consumo excessivo já é visível: escassez de água, desertificação, erosão dos solos, queda da produtividade agrícola e das reservas de peixes, desmatamento, desaparecimento de espécies. Viver de crédito só pode ser algo provisório porque a natureza não conta com uma jazida para nos prover indefinidamente”, ressaltam o WWF e a Global Footprint.

Apesar do crescimento da economia mundial, “as emissões de CO2 vinculadas à energia não aumentaram em 2016, pelo terceiro ano consecutivo”, ressaltam o WWF e a Global Footprint. “Isto pode ser explicado pelo grande desenvolvimento das energias renováveis para produzir eletricidade”.

E você, o que pode fazer para contribuir com a preservação da nossa casa, o planeta Terra? Segundo Lena Michelsen, consultora de políticas para nutrição e agricultura da rede de desenvolvimento alemã Inkota, há três fatores importantes a serem melhorados para diminuir o consumo de recursos naturais:

  • Produzir energia a partir de fontes renováveis;
  • Introduzir práticas ecológicas na agricultura (a agricultura industrial é responsável por um terço das emissões de CO2);
  • Alterar os padrões de mobilidade, já que voar e dirigir emitem enormes quantidades de gases de efeito estufa.

Impulsionar a sintonia entre as pessoas e o planeta é o nosso propósito.

Vamos juntos!?

Mais artigos:

Energia solar rende mais que renda fixa

Muito tem se falado na mídia sobre os benefícios da energia solar, sejam estes estratégicos, ambientais ou financeiros. Nós da Azulare somos entusiastas de soluções que impulsionem a sintonia das pessoas com o planeta e, quando elas são economicamente vantajosas, cria-se o cenário perfeito! Analisando as diversas opções de renda fixa disponíveis no mercado brasileiro, […]

Leia mais

Sol, fonte maior de energia!

A radiação solar é fonte primária de energia para os processos biológicos e meteorológicos que ocorrem na superfície terrestre. Quase todas as fontes de energia – hidráulica, biomassa, eólica, combustíveis fósseis e energia dos oceanos – são formas indiretas de energia solar. É a partir da energia do Sol que se dá a evaporação, origem […]

Leia mais

Poluição mata mais que guerra e violência

Estudo divulgado em 19/10/17 pela revista científica The Lancet afirma cerca de nove milhões de pessoas morrem anualmente por fatores ligados à poluição. A estimativa é que a poluição do ar matou 6,5 milhões de pessoas em 2015 e a poluição da água causou 1,8 milhão de mortes. Esses dados, por si só, são suficiente […]

Leia mais

Energia solar: importante aliada do agronegócio

Diferentemente da crise financeira que afeta a indústria e o comercio em geral, o agronegócio brasileiro tem experimentado grande fortalecimento nos últimos anos, representando quase 23% do PIB nacional e com previsão de crescimento de 2% para 2017, conforme a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Um dos segredos por trás desse destaque […]

Leia mais